Estudo da competitividade
da cadeia produtiva do Leite

Gestão estratégica do MAPA para aperfeiçoar as políticas públicas de promoção do desenvolvimento sustentável, segurança alimentar e competitividade do agronegócio

Acesso a informações e documentos do projeto

O que é

O QUE É

Contratação de consultoria multidisciplinar para realização de estudos técnicos de análise territorial da produção de leite e diagnóstico dos fatores limitantes ao desenvolvimento da cadeia produtiva do leite e seus derivados, identificando as diversidades dos fatores estruturais associados à construção e aplicação de políticas públicas estratificadas, diferenciadas para as principais realizadas produtivas, específicas para cada faixa de porte de produtores de leite, que possam contribuir para incrementar as condições de competitividade desta cadeia produtiva tão diversificada.

Descrição

Realizar estudos técnicos de diagnóstico dos fatores limitantes à competitividade do leite no Brasil. O projeto visa o desenvolvimento de políticas estratificadas (específicas para cada faixa de porte de produtores de leite), políticas que respeitem a diversidade socioeconômica, cultural e edafoclimática das diferentes realidades da produção brasileira de leite e que possam contribuir para o fortalecimento dessa cadeia produtiva com grande importância social e econômica. Este estudo é de fundamental importância para que a Secretaria de Política Agrícola (SPA/MAPA) possa propor políticas, desenvolver instrumentos e implementar ações capazes de contribuir para o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do leite. Para a Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação (SDI/MAPA), o estudo irá auxiliar o direcionamento e o desempenho de suas funções de estímulo e organização dos produtores de leite no Brasil.

Justificativas

O presente conjunto de produtos demandados é uma abordagem inovadora sobre os estudos e conhecimentos já realizados no setor lácteo brasileiro. São novos questionamentos necessários para entender a diversidade de realidades e situações encontradas nas variadas formas de estruturas e arranjos na cadeia produtiva do leite e derivados no Brasil.
A complexidade dos produtos a serem desenvolvidos e a ampla abordagem territorial necessária para implementar os estudos para o Plano da Competitividade do Leite Brasileiro, justificam este Termo de Referência. A execução dos produtos deste TR necessita de dedicação, habilidades e experiências acadêmicas e vivências com profissionais da iniciativa privada, buscando levantar as conjunturas de outros pontos de vistas. Posteriormente, esta diversidade de olhares irá complementar as percepções dos servidores públicos para implementarem políticas públicas adequadas e para estimularem políticas privadas para o desenvolvimento do setor lácteo brasileiro.
A baixa produtividade da cadeia produtiva do leite no Brasil parece estar relacionada ao foco difuso até então dado às ações direcionadas a ela e que resultaram, até o momento, em baixo impacto em melhorias dos seus indicadores.
A necessidade de conhecer com detalhes técnicos a condição econômica, social, política e o estágio de desenvolvimento tecnológico da cadeia produtiva é a principal razão da contratação de serviços técnicos especializados que resultem em estudo de diagnóstico dos fatores limitantes à competitividade do leite no Brasil, visando o desenvolvimento de políticas estratificadas, específicas para cada faixa de porte de produtores de leite, que possam contribuir para o fortalecimento dessa cadeia produtiva. A Secretaria de Política Agrícola (SPA/MAPA) desenvolve políticas que podem contribuir para acelerar o crescimento econômico e o desenvolvimento sustentável da agropecuária brasileira. Neste contexto, merece destaque a cadeia produtiva do leite, cujo principal gargalo para o seu desenvolvimento é o aumento da competitividade. Esse entrave, no entanto, tem raízes multidimensionais e seu enfrentamento exige o diagnóstico preciso do contexto atual, tanto em nível nacional quanto internacional, para que sejam elaboradas estratégias e soluções eficazes.
Ademais, deve-se destacar a complexidade ímpar do sistema agroindustrial do leite, presentes no longo ciclo produtivo; na perecibilidade do produto; na dinâmica diferenciada entre produtores e indústrias; e no impacto da infraestrutura e logística para a qualidade. Diferentes temas permeiam o debate da competitividade, podendo ser citados: assistência técnica ao produtor; acesso a tecnologias de produção; automatização de rotinas na propriedade; adequação dos manejos alimentar, sanitário e reprodutivo (dentro das especificidades regionais); administração rural; gestão de pessoas, sucessão e formação de lideranças no campo; adequação de infraestrutura para produção e transporte com foco em qualidade do leite; e sistemas de pagamento e comercialização que estimulem a qualidade do leite e possibilitem previsibilidade de preços pelos diferentes agentes da cadeia produtiva.

Atividades

A seguir apresentamos os 6 (seis) produtos previstos com os métodos e estratégias definidas pela Terceira Via.

Produto 1: Fornecimento de energia elétrica nas bacas leiteiras.
A análise resultante trará as opções para melhoria no acesso e fontes alternativas para a produção de energia elétrica na propriedade rural. Como exemplificação a seguir um tipo de método que será utilizado para coleção de dados primários e secundários, incluso publicações mais recentes para nortear o início da seleção das regiões prioritárias, com objetivo melhor avaliar as vulnerabilidades atuais e projetar opções para melhoria da produção brasileira, seja no acesso as fontes de energias,fósseis ou renováveis, que também são importantes fontes futuras de sustentação, para custos e também para gerar vantagens competitivas internacionais com parceiras de arranjos de produção -consumidor de produtos lácteas internos e externos.

Produto 2: Infraestrutura na cadeia do leite.
Como estratégia metodológica serão usadas para a coleta a aplicação do questionário previsto e para regiões consideradas prioritárias, após análise de sensibilidade, será aplicado método de conteúdo para avaliar as nuances e teor das respostas coletadas. Em casos, onde aplique-se, pela prioridade e alta sensibilidade, poderá ser usado, quando negociado entre os atores, o método de entrevistas semiestruturadas para refinamento da análise junto a atores-chaves de segmentos estratégicos, como equipamentos de alta tecnologia da indústria 4.0, centros de pesquisas em biogenética, e redes de pesquisas multilaterais internacionais, sem se limitar a estes, uma vez que somente no momento da análise que se filtrará tais alvos prioritários.

Produto 3: Identificar as propriedades de sucesso na produção de leite.
Estudo para levantar se existem e como operam as “faixas de competitividade”, isto é, se é possível diferentes faixas de porte de produção de leite serem técnica e economicamente competitivos(usar tecnologia adequada, produzir leite dentro dos padrões legais e possuir lucratividade e rentabilidade)

Produto 4: Modelagem das relações agroindustriais na cadeia do leite.
Método Inter e transrrelacional será utilizado para coletar, classificar, agrupar, categorizar e consolidar as formas de relacionamento, mercados atuais e futuros.

Produto 5: Modelagem dos comportamentos gerencias do produtor de leite.
Para este produto será utilizado técnicas de avaliação de perfil psicológico e sociológico, uma vez que para grupos de produção intensiva operam lógicas comportamentais oligarcas e de controle de mercado diferentes das lógicas, por exemplo, de pecuaristas semi-intensivo ou no outro polo, de arranjos produtivos locais de base de agricultura familiar.
Como no produto 3desta proposta, a interdisciplinaridade de análise entre segmentos, como econômico, de tecnologia, e político nacional e internacional sáo essenciais para uma análise adequada.Um dos resultados esperados é também uma listagem das boas práticas de relacionamento entre os atores (produtores, indústrias, distribuidores, comerciantes e consumidores).

Produto 6: Estratégias de ampliação da competitividade da cadeia do leite.
Este produto conterá a compilação dos principais resultados dos produtos anteriores e análises comparativas com métodos de comparação e análise de rede (ator-rede). O método de ator-rede aqui proposto por Bruno Latour será utilizada como estratégia metodológica para melhor compreender as interdependências dos atores diretos e indiretos envolvidos na cadeia de produção leiteira do Brasil e suas conexões com atores externos, porém inter-relacionados com as estratégias a serem formuladas pelos dados e informações resultantes deste projeto como um todo.

Equipe

Coordenadores

Iran José Oliveira da Silva

Coordenador Geral

Leia mais
Engenheiro Agrícola, pós doutor em Bem-estar animal. Consultor técnico do MAPA, projetos de coordenação junto a EMBRAPA, parceria IICA. Professor associado Esalq/USP. Coordenador do NUPEA-USP.
Carla de Andrade

Coordenadora Técnica

Leia mais
Graduação em Zootecnia (UNESP), Mestrado e Doutorado em Ciência Animal e Pastagens (ESALQ/USP) e visitante no Department of Animal Science (NCSU/EUA). Pós-doutora em Ciência Animal (PUCPR) e Especialista em Gestão Administrativa e financeira. Consultora nas áreas de Produção, Nutrição, Saúde intestinal, Comportamento e Bem-estar animal no NUPEA/ESALQ/USP.

Lattes

Volmir Meneguzzo

Coordenador Operacional

Consultores

Luiz Tanahara
Leia mais
Graduado em Ciencias Economicas, Mestre em Economia Rural, Consultor de Empresas, Consultor do SEBRAE/MS, Diretor da Agricon Consultoria Empresarial Ltda.
Gizela Melina Galindo
Gabriela Isla Villar Martins
Leia mais
Economista, com Mestrado em Economia Quantitativa e Doutorado em Desenvolvimento Local, professora de Economia na Universidade Católica Dom Bosco, Consultora econômica especializada em pesquisas, Socia-Diretora da Aroeira Consultoria.
Mariana Costa
Leia mais
Graduada em Administração (USJT), com mais de 10 anos exerce junto ao Programa de Aquisição de Alimentos e suas modalidades. Atuou como ATER/INCRA para o desenvolvimento econômico e social dos agricultores familiares assentados. Operou o Programa Alimenta Brasil em uma grande prefeitura do Estado de São Paulo. T como consultora dando suporte a organizações de agricultura familiar na área de gestão e comercialização nos mercados públicos.
Izally Carvalho Gervásio
Leia mais
Graduada em Zootecnia pela UFLA, com mestrado em Ciências pela ESALQ/USP. Doutoranda no Programa de Pós- graduação em Ciência Animal e Pastagens da ESALQ/USP com ênfase em melhoramento e genética animal.
Rodney Guadagnin Santos
Marcos Donizete Silva
Leia mais
Possui graduação em Medicina Veterinária pelo Centro Universitário UNIFEOB (2013). Foi vencedor do Prêmio Brasil de Bem-estar de Animais de Produção (2012), promovido pela WAP (World Animal Protection); Especialista em Produção Animal pela University of Guelph (2014-2015). Possui mestrado em Ciência Animal e Pastagens, pela ESALQ/USP. Atualmente é doutorado no programa de pós-graduação em Ciência Animal e Pastagens, na ESALQ/USP. Estagiou Voluntariamente (Visiting Research), junto ao Departament of Animal Bioscience and Campbell Centre for Study of Animal Welfare (CCSAW) at the University of Guelph, (2014/2015). Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Produção Animal, Clínica Médica de Bovinos e Criação de Bezerras.

Lattes

Gestores

Edwaldo Luiz de Oliveira
Frederico Salmi Pereira
Leia mais
Engenheiro Químico (USP), Mestre em Gestão (UNESP), Mestre em Sociologia Ambiental (UFRGS). Membro em Conselhos Ambientais (COMAMs, CONAPAM, MOSAICO, REDE, etc.). Experiência de mais de 25 anos na área socioambiental, de soluções socioterritoriais à políticas climáticas.

Lattes

Antonio Castilho Martins
Leia mais
Graduado em Direito, com Pós em Direito Civil, Marketing, Educação a Distância, Administração Financeira. Consultor em Gestão Empresarial, Instrutor do Sescoop, Senar, Ciesp, Fiesp, Coordenador de Projetos MDA e ANATER.

ODS

SITUAÇÃO

Em andamento

ANO INÍCIO

2021

ABRANGÊNCIA

Nacional

PÚBLICO ALVO

Pecuaristas

#terceiravia #pecuária #pesquisa #inovação #leite

ASSOCIAÇÃO TERCEIRA VIA
(11) 4539-7776   (11) 99526-0940
comunicacao@terceiravia.org.br

PARCEIROS DE EXECUÇÃO